Campus Boa Vista certificou 135 pessoas pelo Encceja

por Virginia publicado 20/02/2020 16h50, última modificação 20/02/2020 16h53
Jovens e adultos que não tiveram a oportunidade de concluir os estudos encontram na certificação a alternativa para cursar a faculdade ou mesmo para ingressar no mercado de trabalho.

Desde 2017, o Campus Boa Vista do Instituto Federal de Roraima (CBV/IFRR) já certificou 135 pessoas pelo Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). Jovens e adultos que não tiveram a oportunidade de concluir os estudos encontram na certificação a alternativa para cursar a faculdade ou mesmo para ingressar no mercado de trabalho.

Exame – O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) realiza exames que, além de diagnosticar a educação básica brasileira, possibilitam meios para certificar saberes adquiridos tanto em ambientes escolares quanto extraescolares. O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) é um desses exames.

O Encceja tem como principal objetivo construir uma referência nacional de educação para jovens e adultos por meio da avaliação de competências, habilidades e saberes adquiridos no processo escolar ou nos processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais, entre outros.

Para a diretora-geral do CBV, professora Joseane de Souza Cortez, essa ação tem representado o cumprimento de uma meta traçada em 2015, cujo propósito é certificar  todos os que foram aprovados em exame de suplência. “Essa certificação atende a uma das missões da instituição quanto à possibilidade formativa de cidadãos, cuja oportunidade de acesso a uma formação regular não foi possível. E nessa certificação se garante também o cumprimento das metas de inclusão social e a oportunidade de acesso a novos estudos, às vagas de emprego e à melhoria da renda familiar enquanto possibilidade cidadã”, disse.

O técnico em refrigeração, Thiago Charles John, estava há vários anos sem de estudar e viu na certificação uma oportunidade para concluir o ensino médio. Ele vai cursar Engenharia Elétrica graças à certificação pelo Encceja. “Esse certificado foi uma grande conquista, pois passei sete anos da minha vida tendo que me dedicar apenas ao trabalho. Mas era bastante difícil conseguir uma boa colocação no mercado de trabalho dada a falta do certificado. Agora terei a oportunidade de realizar meu sonho, que é cursar uma faculdade na área de Engenharia Elétrica, pois já trabalho com eletricidade e com refrigeração, e esse curso vai me ajudar a ter uma carreira promissora. Portanto, é mais uma etapa da minha vida que estou iniciando com a carreira universitária e, a partir disso, terei condições de dar uma melhor condição de vida para mim e para minha família”, relatou.

No link abaixo os interessados terão acesso ao edital que normatiza o processo para solicitação de certificado de conclusão do ensino médio ou declaração parcial de proficiência, com base nos resultados do Encceja, destinado a brasileiros residentes no País, pessoas privadas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa. Todos têm direito à certificação.

Acesse aqui o edital: http://reitoria.ifrr.edu.br/pro-reitorias/ensino/editais-1/2019/edital-n-o-013-2019-ifrr-encceja-2019

 

Virginia Albuquerque
CCS/Campus Boa Vista com informações http://portal.mec.gov.br/encceja
20/02/20